Armadilha da Dengue (Mosquitérica) Por: Gustavo Pulze Paiva

O Brasil está correndo o risco de entrar numa nova epidemia de Dengue em 2010, tudo devido ao alto volume de chuvas, para prevenir a Dengue cada cidadão deve exercer sua função contra o mosquito da Dengue.

Em princípio não deixar pneus, recipiente e embalagens que podem acumular água jogados em locais abertos são cuidados essenciais para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Usando apenas uma garrafa pet de refrigerante de dois litros, é possível criar uma armadilha que prende e mata o mosquito da dengue.

Inventada pelo professor Maulori Cabral, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Mosquitoreia (mosquitérica) é um dos exemplos que podemos seguir e fazer para exterminar o mosquito da dengue.

Nós, do Colégio Adventista de Piracicaba, lançamos a campanha Dengue: a gente combate todo dia. Onde faremos a entrega das armadilhas para nossos alunos.

Para construir uma Mosquitoeira genérica (mosquitérica) é muito simples. O segredo é a motivação para executar as etapas apresentadas a seguir.

Nota: Este texto foi elaborado a partir de uma compilação de textos e entrevistas geradas pelo Prof. Maulori Cabral e pela Profa. Maria Isabel Liberto, ambos do Departamento de Virologia do IMPPG-UFRJ e diversos artigos encontrados na internet. Algumas das fotos foram realizadas pelo fotógrafo Philip Glass.

Observação: vale a pena entrar no site do MEC, e usar esta aula virtual com seus alunos.

(http://rived.mec.gov.br/logacesso.php?caminho=http://rived.mec.gov.br/atividades/ciencias/dengue/187.swf&flatipoacesso=visualizacao&codobjeto=187)

Materiais Necessários

  • uma garrafa pet de 1,5 ou dois litros
  • uma tesoura
  • uma lixa de madeira
  • um rolo de fita isolante
  • um pedaço (7 x 7 cm) de tecido chamado micro tule
  • alpiste ou arroz

Fase 1 -

Tire a tampa da garrafa e, com um jeitinho especial, remova o anel do lacre. Este será usado como componente da sua mosquitérica.

Fase 2 -

A próxima etapa é cortar a garrafa em duas partes.

Antes de iniciar o corte, amasse a garrafa até obter uma dobra.

Com o plástico dobrado fica mais fácil cortá-lo.

Agora, use esse corte como furo para posicionar a tesoura e cortar o restante da garrafa.

Uma das partes vai servir de copo e a outra, como um funil, será a tampa

Fase 3 -

Agora você vai lixar toda a superfície da tampa, que corresponde à face interna da boca do funil, até torná-la completamente áspera e fosca.

Essa peça constituirá a tampa da mosquitérica.

Fase 4 -

Dobre o pedaço de tule e cubra a boca da garrafa.

Use o anel do lacre como presilha. Esta fase exige o jeitinho especial, pois é necessário forçar a presilha para alcançar, pelo menos, a segunda volta da rosca.

Para melhorar o visual, você pode aparar o excedente da malha que ficou aparecendo

Fase 5 -

Chegou a hora de começar a montagem da mosquitérica: encher a parte do copo com água até o nível; colocar o alimento (quatro sementes de alpiste trituradas ou a pelota de ração felina) dentro d’água; posicionar a tampa, de maneira simétrica, com o bico para baixo.  

Use a fita isolante para fixar as duas peças da mosquitérica e, ao mesmo tempo, vedar o espaço entre a borda do copo e a face externa da tampa;  

Fase 6 -

Para estabelecer a altura ideal do nível da água na mosquitérica é preciso encaixar a tampa, com o bico para baixo, dentro do copo.

Identifique, de cima para baixo, o intervalo de altura que vai da boca do copo até o fundo fosco da tampa.

O ponto médio desse intervalo deve ser considerado como a altura do nível da água na sua mosquitérica.

Marque esse nível com um pedaço de fita isolante, bem fino, como se fosse uma linha, colada pelo lado de fora do copo.

Essa marca também delimitará o espaço de ar que ficará acima da água, entre as duas peças da mosquitérica, como você viu nas fotos da Mosquitoeira.

Fase 7 - Observação Diária

Coloque a armadilha em local fresco e sombreado.

Após uma semana, verifique a altura da coluna de água. Se estiver abaixo do nível, complete-a.

Com o nível da água mais alto, os ovos que foram depositados na superfície áspera da tampa ficarão dentro d’água e, em poucos dias, será possível visualizar larvas de mosquitos nadando na mosquitérica.

De agora em diante, observe-a todos os dias, acrescentando água à medida que esta for evaporando.

As larvas se alimentarão dos micróbios presentes na água, que são alimentados pelos grãos ou sementes adicionados.

As larvas eclodem do ovo, no estágio 1 e crescerão passando pelos estágios 2, 3 e 4, até se transformarem em pupas.

Estas, por metamorfose, se transformarão na forma alada de mosquito.

Fase 8 -

Você pode saber se as larvas que apareceram são da espécie Aedes aegypti.

Use o foco de luz de uma lanterna. Se as larvas fugirem da luminosidade, são Aedes aegypti.

Fase 9 - INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Não é necessário esvaziar a mosquitérica para continuar a usá-la.

Para esvaziá-la, agite o líquido de maneira a molhar todos os espécimes voadores que estejam.presos.

Depois é só tirar a tampa e derramar o conteúdo líquido na terra de um jardim ou vaso de planta.

Caso queira jogar no vaso sanitário, adicione detergente líquido na água, espere as larvas e pupas morrem e só então jogar.

Fase 10 - Estatística

Você pode, juntamente com seus alunos, mapear a distribuição das armadilhas pelos diferentes bairros de sua cidade, e fazer um levantamento da proliferação dos mosquitos.

Juntamente com o professor de matemática os alunos podem elaborar gráficos.

Fase 11 - FECHAMENTO

Você pode fazer um fechamento com uma gincana, para isso, o site do MEC pode ser utilizado.

(http://rived.mec.gov.br/logacesso.php?caminho=http://rived.mec.gov.br/atividades/ciencias/dengue/187.swf&flatipoacesso=visualizacao&codobjeto=187)  

BOAS AULAS E BOAS FESTAS!!!

Comentários - 6 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.

Jorge Dama Da Silva Dama em 10/07/2012 13:45:12

Olha, parabéns pela experiência do mosquito da dengue, irei usar em sala de aula.

Um grande abraço.

Diogo Pinheiro em 02/03/2010 11:02:27

Muito bom! Retomarei as aulas hoje com esta atividade! Testo e digo como foi!

Alfredo Mateus em 27/12/2009 11:47:54

Gustavo,

esta é uma atividade muito interessante, especialmente porque permite aos alunos acompanharem de perto o ciclo de vida do mosquito (ao invés de olharem um desenho ou foto). Uma questão importante em relação a estas armadilhas e que você pode chamar a atenção no texto, é que se elas forem mal feitas ou mal cuidadas, elas se transformam em focos do mosquito (água parada e alimento ). Por exemplo, se o tecido for muito aberto, a larva pode subir por ele. Então, o perigo é alguém fazer a armadilha e esquecer dela, não cuidar. Excelente atividade para escola, com cuidado e acompanhamento.

Vitor Silva de Paula em 25/12/2009 12:15:18

Gostei da mosquitérica.

É muito inteligente o esquema da armadilha.